FECHAR
Popup
 
 
 
 
 
1ª Romaria ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida da Paróquia das Mercês
Crédito da foto - Autoral

Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -

Abençoados com dois lindos dias de sol, iniciamos nossa peregrinação na manhã de 27 de maio (sábado) com o Caminho do Rosário (foto 2), trajeto encantador que documenta em figuras de tamanho real cada um dos Mistérios do Santo Rosário. Desde aqueles que, como eu, visitavam o Santuário pela primeira vez, até os frequentadores mais assíduos, maravilharam-se com as imagens retratadas.


E os deslumbres ao olhar (e ao coração) continuaram ao visitar o Presépio permanente onde também se encontram representações da descoberta da imagem da Mãe Aparecida nas águas do rio Paraíba do Sul.


Estar em Aparecida é emocionar-se com e, por que não, alimentar-se da fé do outro. Testemunhar os homens e mulheres que atravessam de joelhos os 392 metros da Passarela da Fé inspira e reflete quão poderosa é a fé cristã. A visita à Matriz Basílica, construção de 1745, é um carinho ao olhar com seus detalhes em estilo barroco e, apesar de cercada de comércios ruidosos, alguns minutos em seu interior já nos causam paz inexplicável.


Mas de todas as experiências vividas, sem dúvida, estar dentro da Basílica Nova pela primeira vez (ou pela vigésima) é a mais indescritível de todas. Basta entrar para sentir o abraço que acolhe e o colo que acalenta. Colocar-se diante da Imagem Milagrosa de Nossa Senhora Aparecida (foto 6) renova nossas forças, alimenta nossa fé e transborda o coração de graça. 


Finalizando nossa jornada, na manhã de 28 de maio (domingo), fomos alegrados pela celebração de Pentecostes, concelebrada pelo Frei João José, na qual Dom Orlando Brandes, Arcebispo de Aparecida, nos recordou em sua homilia que “o Espírito Santo é força, energia e dinamismo” e que “todo dom que temos é para servir”. E através dos diferentes dons que cada peregrino possuía, nos complementamos nesta jornada, estabelecendo e fortalecendo laços fraternos e retornando a Curitiba com a força do Espírito Santo e o amor da Mãe Aparecida.


Texto de Luka David Lechinewski


 
 
Indique a um amigo
 
 
Conteúdo Relacionadas
CADASTRE SEU E-MAIL

E RECEBA NOVIDADES