Junho: mês dedicado ao Sagrado Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria

               A devoção ao Sagrado Coração de Jesus já existia na Idade Média. Como festa litúrgica, aparece em 1675, após as aparições do Senhor a Santa Margarida Maria Alacoque. A festa celebrou-se pela primeira vez em 21 de junho de 1686. Pio IX estendeu-a a toda a Igreja. Pio XI, em 1928, deu-lhe o esplendor atual.
 
              A devoção ao Imaculado Coração de Maria é conhecida desde o século XVII, juntamente com a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. Os dois Corações, de Jesus e de Maria, são inseparáveis: onde está Um também está o Outro. Jesus é o Redentor da Humanidade e Maria, a Mãe Corredentora. No dia 13 de Outubro de 1942, em plena Segunda Guerra mundial, o papa Pio XII, correspondendo ao desejo da Senhora manifestado em Fátima, consagrou o mundo ao seu Imaculado Coração.
 
                 O Imaculado Coração de Maria é o refúgio dos pecadores, esperança de todos os necessitados, dos aflitos e saúde dos enfermos. Maria é só bondade e misericórdia, assim pode esperar-se tudo da generosidade do seu Imaculado Coração. “Maria, diz São João Crisóstomo, é um oceano de misericórdia”. A Igreja canta em sua honra este hino de confiança: “Salve, Rainha, Mãe de misericórdia, vida e doçura, esperança nossa”! Recusará ela a sua ajuda aos pecadores, saúde aos enfermos, auxílio aos necessitados e aos aflitos! Ela que durante a sua vida ofereceu o seu divino Filho por todos, no Templo e no Calvário? Diz São Bernardo: “nenhum daqueles que a Vós tem recorrido, foi por Vós desamparado”.

Com confiança recorremos a Maria: “Mãe querida das Mercês, com a simples confiança de filhos e filhas, recorremos a Ti. Aos seus pés de Rainha e Mãe de Misericórdia, suplicamos o Teu poderoso auxílio. Ajuda-nos com a Tua misericórdia, para que possamos recuperar a feliz liberdade de filhos e filhas de Deus”.
 
O Sagrado Coração de Jesus é fonte e expressão do seu infinito amor por cada homem e cada mulher. O Evangelho de Jo 19,31-37, nos mostra que, mal Jesus expirou, um dos soldados atravessou-lhe o lado com uma lança, e imediatamente saiu sangue e água do seu lado aberto. Na noite anterior à Sua morte, na Última Ceia, Ele mesmo deu Seu Corpo e Seu Sangue para ser nosso alimento e para alimentar nossa vida aqui na Terra. Jesus é Aquele que, ao morrer, do seu lado aberto, jorra Sangue do Seu coração, para dar vida a cada um de nós. O Seu lado aberto jorra água, que nos batiza, nos lava, nos purifica, nos renova e faz de nós criaturas novas segundo à imagem e semelhança do nosso Deus!

Que imenso amor que Jesus tem por nós, pois derramou voluntariamente até a última gota do seu precioso Sangue por cada um de nós, como se não houvesse mais ninguém no mundo.

Depois da ascensão aos céus com o seu Corpo glorioso, Jesus não cessa de amar-nos, de chamar-nos para que vivamos sempre muito perto do seu amabilíssimo e Sagrado Coração. Como não havemos de amá-lo e aproximarmo-nos dEle com confiança?
Na cruz, muito perto de Jesus, encontramos sempre a sua Mãe. E quem poderá explicar os sentimentos do seu Sagrado Coração quando nos deu no Calvário a sua Mãe como Mãe nossa?

Irmãos e irmãs, Jesus nos deu a sua Mãe, somos todos filhos e filhas  de uma Mãe que sabe das nossas necessidades, das nossas preocupações, dores e sofrimentos, dos afetos e dos sentimentos de nosso coração. Com confiança e fé, deixemo-nos ser acompanhados e cuidados por Ela!

Sagrado Coração de Jesus e Imaculado Coração de Maria, abençoai-nos!

Diácono Antonio Daniel Ferrassioli.

 
Indique a um amigo
 
 
Mais artigos
CADASTRE SEU E-MAIL

E RECEBA NOVIDADES